Fala de Sonia Hess sobre a exposição aos agrotóxicos e gravames à saúde e ao meio ambiente

(Ouvidoria-Geral Defensoria Pública de SP, 04/11/2016)

Fala da professora Profª Drª Sonia Corina Hess, Professora Titular da Universidade Federal de Santa Catarina (Química) no Painel I – Informações em Saúde, Consumo e Exposição no Estado de SP, Brasil e Mundo da Audiência Pública realizada nos dias 29 e 30 de agosto de 2016, no auditório da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP), convocada pela Ouvidoria da Defensoria Pública do Estado de São Paulo, pela Defensoria Pública da União em São Paulo e pelo Ministério Público Federal, com apoio da Escola da Defensoria Pública do Estado de São Paulo.

Vídeo | Publicado em por | Deixe um comentário

Recursos ameaçados. Fabrique uma crise e atropele o Estado

(Rede Brasil Atual, 15/10/2016)

Geólogo Luiz Fernando Scheibe, da Universidade Federal de Santa Catarina, critica esforço do governo em privatizar o Aquífero Guarani, riqueza subterrânea de 1,1 milhão de quilômetros quadrados.

“A ideia de conceder tudo à iniciativa privada, esse modelo neoliberal, é estimulada por uma crise fabricada. Essa ideia de que você fabrica uma crise para que durante a crise os governos, os parlamentos e as pessoas aceitem negociar coisas que antes eram inegociáveis veio do Milton Friedman (economista norte-americano, 1912-2006, um dos ideólogos do liberalismo de mercado).”

Nesta entrevista, Scheibe fala do Aquífero Guarani, área de 1,1 milhão de quilômetros quadrados que compreende as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do país e também parte de Argentina, Uruguai e Paraguai, abrigando um imenso reservatório subterrâneo de água, estratégico para o meio ambiente e o desenvolvimento sustentável. E que está no alvo do golpe, já que, a exemplo do pré-sal, também o aquífero poderá ser privatizado. No início de setembro, o governo Michel Temer conseguiu aprovar o Programa de Parcerias para Investimentos (PPI), instrumento para abrir tais riquezas às multinacionais.

Leia mais clicando aqui.

Publicado em Entrevistas, Notícias | Deixe um comentário

Pesquisador do Projeto Rede Guarani/Serra Geral representou o Sul do país em Seminário Nacional sobre Recursos Hídricos

Especialistas em recursos hídricos e representantes do Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos (Singreh), de setores usuários e da sociedade civil se reuniram entre 13 e 14 de setembro, em Brasília, para participar do Seminário Prioridades do Plano Nacional de Recursos Hídricos (PNRH) para 2016-2020. Cerca de 150 pessoas participaram das discussões. Dentre os especialistas convidados pelo Ministério do Meio Ambiente estava o pesquisador do Projeto Rede Guarani/Serra Geral Willian Goetten. Na ocasião o pesquisador representou os Jovens Profissionais em Recursos Hídricos da Região Sul do Brasil. O objetivo do encontro foi consolidar os resultados do processo de revisão do PNRH, que envolveu, dentre outras atividades, consulta pública online aos colegiados de recursos hídricos e à sociedade em geral, com a participação de cerca de 1500 pessoas, de todos os estados e do Distrito Federal, alcançando 408 municípios e cerca de 140 colegiados, entre conselhos de recursos hídricos e comitês de bacias hidrográficas federais e estaduais.

Os resultados colhidos na consulta pública foram discutidos em três grupos temáticos durante o seminário: gestão, governança e usos múltiplos e conservação.  Dos 14 itens apresentados na consulta pública, os ouvidos apontaram como principais prioridades o planejamento de longo prazo e o uso racional, considerando os desafios e incertezas gerados pelas mudanças climáticas. As propostas apresentadas foram no sentido de ampliar o conhecimento sobre os usos das águas, das demandas atuais e futuras e de integrar a política de recursos hídricos à política ambiental, de irrigação, de saneamento, energia, turismo, entre outras. Em suas sugestões Willian, apontou prioritariamente a continuidade do investimento em pesquisas científicas na área de prevenção de desastres e de monitoramento hidrogeológico.

O PNRH foi elaborado entre 2005 e 2006 e aprovado pelo Conselho Nacional de Recursos Hídricos (CNRH) em 2006.  Em 2011, passou pela primeira revisão, com a aprovação das prioridades para o gerenciamento de recursos hídricos entre 2012-2015. De acordo com a Secretaria Nacional de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano (SRHU) do Ministério do Meio Ambiente (MMA), que coordena o PNRH, até o fim deste ano serão divulgados os resultados sobre a implementação das prioridades do período 2012-2015. O processo de revisão do PNRH começou em 2015, coordenado pela Secretaria Nacional de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente, em articulação com a Câmara Técnica do Plano Nacional de Recursos Hídricos no Conselho Nacional de Recursos Hídricos e o apoio técnico da Agência Nacional de Águas (ANA).

Fonte: Agência Nacional de Águas

14454602_882482525184998_1712271740_n

Foto: Arquivo pessoal de Willian Goetten
Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Equipe do LAAm percorre o oeste de SC para levantamento de informações hidrogeológicas

(LAAm/UFSC, 08/09/2016)

Durante os dias 7 à 11 de agosto de 2016 a equipe do LAAm, constituída por Arthur Nanni, Luiz Fernando Scheibe, Leila Amaral, Mariana Blank, Regiane Silva e Rossana Borelli, percorreu várias cidades na região do meio e extremo oeste do planalto catarinense. A atividade teve como principal objetivo realizar a verificação in loco de poços profundos previamente cadastrados, que captam água do Sistema Aquífero Guarani, bem como o levantamento de novos poços com o intuito de melhorar a rede de informações, que dá suporte as investigações científicas do Projeto Rede Guarani/Serra Geral.
Além dessa atividade, a equipe pode verificar as informações pertinentes a geologia atualizadas em 2014 pelo mapa geológico desenvolvido pelo Serviço Geológico do Brasil, que propõe novas unidades estratigráficas para a Grupo Serra Geral. As características dessas novas unidades foram confirmadas e farão parte das bases cartográficas adotadas para o estudo de avaliação da vulnerabilidade à contaminação do Sistema Aquífero Integrado Guarani/Serra Geral (SAIG/SG). Por fim, a equipe avaliou a consistência de outras bases cartográficas e realizou a tomada de estruturas tectônicas, para estabelecer padrões de evolução do terreno, que contém mananciais subterrâneos importantes para o desenvolvimento de Santa Catarina. Esta pesquisa de campo faz parte da Meta 1 – Componente 1 (M1C1) do Projeto Rede Guarani/Serra Geral, que compreende a coleta de dados hidroquímicos, mapeamento geológico estrutural e hidrogeológico da área de ocorrência do SAIG/SG em Santa Catarina.

Texto: Rossana Borelli e Regiane Silva

campo_agosto_2016a

Equipe no afloramento da Fm. Serra Geral.

 

Publicado em Notícias | Deixe um comentário

Projetos hidrelétricos em Santa Catarina

(Estudos Avançados, 2016)

“Este artigo fundamenta-se nas categorias teóricas Globalização, Território e Desenvolvimento, e procura identificar as modificações territoriais que ocorrem pela presença de empreendimentos hidrelétricos. Os sujeitos sociais envolvidos são os proprietários das hidrelétricas, os atingidos diretamente, os gestores públicos e os dirigentes do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB). Os cenários são as estratégias de governos e de grupos privados bem como visões de grupos sociais atingidos pelos empreendimentos hidrelétricos. Os dados apontam para um conjunto de modificações territoriais, novas atividades econômicas e alteração significativa nas relações sociais”.

Leia a íntegra do artigo clicando aqui.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Reuso da água é essencial para gestão dos recursos hídricos – Entrevista especial com José Galizia Tundisi

(Jornal da Ciência, 09/08/2016)

“A gestão das águas por bacias hidrográficas é atualmente o grande desafio”, diz José Galizia Tundisi à IHU On-Line, ao comentar a atual situação dos recursos hídricos no Brasil. Segundo ele, se fosse realizada uma gestão “bem executada”, seria possível “assegurar um controle mais efetivo às reservas de água e maior eficiência no uso”.

José Galizia Tundisi é graduado em História Natural, mestre em Oceanografia pela University of Southampton e doutor em Ciências Biológicas (Botânica) pela Universidade de São Paulo – USP. Atualmente é professor titular aposentado da USP e professor titular do curso de Qualidade Ambiental da Universidade Feevale, em Novo Hamburgo, Rio Grande do Sul

Leia a íntegra do texto clicando aqui.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

João José Bigarella na UFSC – Homenagem da Revista da ANPEGE, por Luiz Fernando Scheibe

(Revista ANPEGE, jan-jul./2016)

Confira a homenagem ao Prof. João José Bigarella publicada na Revista ANPEGE pelo prof. Luiz Fernando Scheibe clicando aqui.

Sem título

Publicado em Artigos, Publicações | Deixe um comentário